segunda-feira, fevereiro 11, 2008

A BELA POESIA

Com pingos de inspiração e talento,
escreve o poeta seus poemas dia-a-dia,
nos dias Não escreve á dor, ao desalento
nos dias Sim canta à esperança e a alegria.

Pobre poeta, como eu entendo e lamento
os dias em que é triste, tua bela, poesia,
que a tua fé não resiste ao sofrimento,
por vezes o mundo coberto de hipocrisia.

Porém, poeta, nunca deixes de escrever:
os teus poemas de denúncia p'ra dizer
que queres o homem mais humano e fraterno,

que da força emanada dos teus versos,
nascerá arma para apontar aos perversos
e verás Céu, onde agora vês Inferno.

Fernanda

Este Soneto é dedicado a minha amiga Lídia,
do blogue: SILÊNCIO CULPADO.

29 comentários:

Benó disse...

Que todos os dias sejam dias SIM.
Que se cante sempre a alegria e a vontade de viver.
Esperança! O dia de hoje é azul, tenhamos ESPERANÇA de que o amanhã tenha as cores do arco-iris e que os seus olhos vejam sempre CÉU.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fernanda
Eu sou uma sentimentalona e fiquei comovida. É lindo o soneto que me dedicaste. Vou levá-lo e guardá-lo bem junto ao coração. Sabes Fernanda, é preciso que uns dias sejam tristes e outros não. É a força desse contraste que nos inspira e nos dá a razão que não teriamos se todos os dias fossem iguais.
Beijinhos amiga

Rosa Maria disse...

Fernandinha
Como eu gostava de saber fazer poesia.
Sei que para ela conseguiria passar tudo o que me vai na alma, no coração...
Sofrer dói tanto!

Beijinhos

Maria disse...

É lindo este soneto que ofereces à Lídia.
Também acredito que um dia o Homem olhará o outro Homem de uma forma mais justa e igualitária.... só não sei se a arma nascerá dos veros...

Beijinhos

Agulheta disse...

Fernanda. Olá amiga,que todos os dias o sim seja um marco importante em nossa vida.
Beijinho de amizade lisa

NuNo_R disse...

E É MUITO BEM DEDICADO :)

bjs

Zé Povinho disse...

Simplesmente, MUITO BOM e com a maca da Fernanda.
Obrigado por este momento.
Abraço do Zé

Jose Gonçalves disse...

Fernandinha

Se me permitires e a Lídia do silêncio culpado não ficar zangada, levá-lo-ei também para o guardar e oferecer à minha Lídia. Coincidências...
Um beijinho
José Gonçalves

A. Jorge disse...

Olá!
Tenho, para os meus eleitos, um recado no "Vagabundices"!

Um beijo

Jorge

http://vagabundices.wordpress.com/

Mário Margaride disse...

Querida Amiga,

Que todos os dias sejam primaveras
Para que nasçam novas flores
Que todos os dias tenhamos esperança
E que todos os dias floresçam amores.

Beijinhos...

Mário

Olhos de mel disse...

Oie Fernandinha! Que lindo, viu? E é assim mesmo. O poeta vive sempre no limite das emoções.
Boa semana! Beijos

su disse...

Belo poema, grande poema, espectacular homenagem que fazes. É mesmo caso de ficar-se comovida com tal presente.
Seja o que for que nos vai por dentro é isso que alimenta esta vontade urgente que temos de escrever...haja sempre este allimento!

Um beijo grande aqui da Teia.

sofialisboa disse...

este teu poema a uma amiga quase parece escrito para mim, hoje...mas a vida não são dias e amanhã será um melhor dia sim :) sofialisboa

gaivota disse...

fernandinha
um soneto do coração, dito e escrito com alma aberta
porque são uns dias de SIM, outros de NÃO, que nos trazem por estas bandas...
beijinhos grandes
(vou voltar aos açores...)

Carmim disse...

Se os dias fossem todos iguais, os poetas não teriam sobre o que escrever!
Precisamos desses momentos de dor, para valorizar a alegria.

Uma bela homenagem. =)

Beijo.

Agulheta disse...

Amiga Fernanda. Pois em momentos como estes que os poetas,escrevem se valoriza a alegria e a esperança.
Para ti deixo mil sorrisos e beijinho e agradeçer a visita Lisa

poetaeusou . . . disse...

*
afectividade, fernandina,
,
conchinhas
,
*

lua prateada disse...

A Fernanda é mais poeta que qualquer poeta...
Está lindo amiga adorei!...
Beijinho prateado
SOL

Carol disse...

Que lindo soneto, Fernandinha!

A vida é mesmo assim, uns dias bons e outros maus... O que é importante é perceber que os maus nos fortalecem e os bons serão sempre nossos!

Beijinhos.

xistosa disse...

O poeta tem sempre razão, uns dias Sim, outros Não.
Só assim se podem destrinçar os valores que nos norteiam.
Obrigada por mais este belo momento

Oliver Pickwick disse...

Portanto, prezada Fernanda, siga o seu próprio conselho e nunca deixe de escrever.
Beijos!

O Guardião disse...

Que o SIM predomine e que o NÃO seja sempre bem empregue.
Cumps

Tiago R. Cardoso disse...

mais um bonito momento, mais uma vez excelente a tua capacidade de jogar com as palavras e coloca-las no sitio certo, muito bem...

A Flôr disse...

A vida é composta por SIM e por NÃO!

Como saberiamos dar valor ao sim, se não tivessemos já saboreado o não?

Bonito o poema que dedicaste à silêncio culpado.... muito bonito mesmo... eu não tenho jeito nenhum para fazer poesia.... eu já sou um poema... sou, sou... um poema do Criador! eh ehehehe

Flor deixa votos de um resto de dia com as cores do arco-íris

Flor

SAM disse...

Como vai querida, Fernandinha?

Que emoção passou neste soneto! Que bela homenagem.

Grande beijo

Priscila Petrarca disse...

belas palavras.
adorei!
beijão

Rui Caetano disse...

Escrever funciona como a catarse do poeta, escrever é o sumo do nosso coração salpicado com os gomos da nossa imaginação.
Mais uma vez, de um assunto rotineiro fez um belíssimo poema.

Gerlane disse...

Lindo soneto, Fernandinha!

Acredito que tua amiga ficou muito lisonjeada com tua dedicatória.

Beijos pra ti!

Anónimo disse...

I like use viagra, but this no good in my life, so viagra no good.