terça-feira, fevereiro 19, 2008

Ai se Eu um Dia Voltasse!...

Um velhote, já cansado,
ao ver um casal novito,
pôs-se a olhar descarado
e a piscar o seu "olhito".

O casal de namorados
ao velhote não ligou,
continuaram abraçados
e um ao outro beijou.

Ao ver trocar mais um beijo,
o homem, desorientado,
sentiu um louco desejo
de ser ele o namorado.

Olhando com insistência
o ancião sai-se com esta:
-"Minha filha tem paciência,
mas esse moço não presta"!

O rapaz ficou a olhar
e respondeu-lhe com graça:
-"Não se esteja a entusiasmar,
vá passear que isso passa"!...

...Fez que o homem recordasse
a longiqua mocidade,
diz-lhe então:-"Ai se eu voltasse,
a ter essa idade"!...

Fernanda

20 comentários:

C Valente disse...

Tão verdadeiro , lindo
Amiga lhe deixei um pequeno desafio s o quiser aceitar
Saudações amigas com um beijo de bao noite

Maria disse...

Adorei. adorei a "malandrice" do velhote.....
Conseguiste fazer-me rir, mesmo...

Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
fernandinha
ai,
se eu um dia
partisse . . . de mim,
,
pedrinhas de iodo
,
*

gaivota disse...

minha querida
é assim,
há quem pode querer voltar...
há quem pode querer partir...
nunca se é demasiado novo, nem demasiado velho...
apenas temos idade!
posso dizer, se me permites,
esse "teu velhote" é castiço...
e há-os!, acredita, assim "ligeiros"
beijinhos

lua prateada disse...

Adorei !!!LINDO eheheheh
Realmente espectacular Fernandinha...
Beijinho prateado com carinho
SOL

Zé Povinho disse...

Outros tempos, outras atitudes...
Seja como for, o amor é sempre lindo, e dizem que faz muito bem à saúde, eheheh
Abraço do Zé

Iana disse...

Amiga obrigada pelo carinho... tenha certeza que irei continuar.. aguarde e logo terás mais novidades....
PS: Seu texto está óptimo!!!
Muitos jinhos fofos e carinhosos...
Iana....

C Valente disse...

Uma boa noite com um beijo

C Valente disse...

Uma boa noite com um beijo

C Valente disse...

Uma boa noite com um beijo

Agulheta disse...

Fernandinha.
Gostei deste poesia popular,com uma certa "malandrice" mas a vida é isto,rir faz bem e descontrai mesmo que feita em verso como este.
Beijinho Lisa
Agradeco a visita ao meu blog

Gerlane disse...

Original, Fernanda! E, bem-humorado!

Beijos pra ti!

Jose Gonçalves disse...

Recordar também é viver, temos é de aprender.
Um grande beijinho minha amiga.
Obrigado por tudo o que é e pelas palavras sempre bonitas que me atribui.
José Gonçalves

Kalinka disse...

A liberdade permite-nos amar e odiar, ajudar e escapar, dar aos outros ou acumular para nós próprios. Talvez os jovens vivam com uma intensidade especial o mistério da liberdade. Quando somos meninos, a presença e o controlo dos pais evitam muitos caprichos e livram de muitos perigos. O adolescente, pelo contrário, sente que a vida está cada vez mais nas suas mãos. Os perigos são os mesmos, mas as pessoas mais velhas pressupõem que o jovem já está mais maduro para os enfrentar melhor. Contudo, há muitas armadilhas subtis, misteriosas, que o podem atrapalhar, que o podem destruir na sua própria liberdade.

Ando com muita necessidade de conversar, ando desanimada pois aqui no trabalho existe uma repressão enorme só para mim, eu aproveitava a m/hora de almoço para visitar os vossos blogs e, até isso...foi-me «proibido» ficar no gabinete...enfim, há gente tão má, eu pergunto:
Que andam a fazer pelo Mundo estas pessoas más? Pena é que as boas vão-se...infelizmente.

Beijinhos. Até sempre.

Olhos de mel disse...

Fernandinha, adorei sua poesia. Quanta verdade... depois ficam as lembranças, a vontade de voltar no tempo e muitas vezes o arrependimento do que deixou de fazer.
Beijos

LuzdeLua disse...

Amiga, adorei.
Quantos nao devem sentir a mesma coisa.
Deixo-te um beijo.
rs rs rs
Bjs

Colibri disse...

Cara Fernandinha,

Lindo poema, que através de uma certa nostalgia nos mostra o sentimento da saudade de quem já viveu e da incompreensão de quem ainda muito tem para aprender.

Muito bem escrito! :-)

Um grande beijinho

C Valente disse...

Sempre gentil, obrigado e boa noite
saudações amigas com um beijo

xistosa disse...

Perante todo um "vendaval", nem tenho palavras.

O dicionário é pequeno e o Cancioneiro não a merece.

manuela disse...

Que poema engraçado.
Faz sorrir.

Gostei Fernanda!

Beijinho

Manuela