segunda-feira, março 31, 2008

ADEUS... NÃO TE QUERO VER JAMAIS!

Adeus... Não te quero ver jamais!
Amor primeiro tão cruel,
sentido, vivido, enaltecido
como algo do mais puro e doce.
Desabrochou ainda em tenra idade,
colhido foi no abrir da adolescência,
embora hoje o viva com saudade
morreu mantendo em si a inocência
de uma jovem na flor da idade.

Adeus... Não te quero ver jamais!
Saudade tenho de tudo que recordo,
com lágrimas, que nem pérolas verdadeiras
que me correm pelas faces luzidias,
donde escapam esperanças derradeiras.
Sonho ainda hoje com tal amor,
choro por saber que ainda existe,
já não tenho força nem fulgor
para lutar contra a ânsia que persiste.

Adeus... Não te quero ver jamais!
Teus carinhos recordo soluçando,
palavras que disseste não pronuncio,
só a ti me enxergo abrançando,
ouvindo em sussurro os sons por que suspiro.
Que saudade e tristeza sinto,
sempre ao recordar na minha solidão,
um amor que desejei ser bem distinto,
e só de chagas cobriu meu coração.

Adeus... Não te quero ver jamais!
Horas de tal felicidade,
que esta tão louca saudade,
me faz recordar chorando.
É que não posso esquecer,
esse sonho belo e doce,
que eu desejava viver
contigo fosse onde fosse.
O vazio magoa a valer...

Adeus... Não te quero ver jamais!
Adeus... amor que passou
mas que vive ainda em mim,
em meu coração rasgado,
em minha alma perdida
ao sabor da solidão.
Esse amor só meu e teu,
que num abismo caiu,
não mais morrerá em mim,
em ti para sempre morreu!!!

Adeus... Não te quero ver jamais!

Fernanda

52 comentários:

flamenguista roxo disse...

FERNANDA!!!!

Lindo tuas palavras.
Beijos boa semana.

Um Momento disse...

Lindo poema Fernandinha:)
Mas eu não te digo Adeus...
Desejo-te uma boa semana e deixo um beijo com muito carinho:)

(*)

Sophiamar disse...

Um excelente poema!
Deixo-te beijinhosssss

Oliver Pickwick disse...

Transformaste a dor e a melancolia em lindos versos.
Beijos!

manuela disse...

Então amiga?
Que tal a saúde?
Obrigado pela visita ao meu novo visual.
Deixo um beijinho e não digo adeus não.
Digo até breve.

Manuela

O Árabe disse...

Belos versos, Fernanda... pena que as lembranças não obedecem à nossa vontade. Mas um dia passam...

Berta Helena disse...

Tens que sarar essa ferida, Fernandinha! Mas o poema é muito bonito.

Beijinhos.

José Miguel Gomes disse...

Basta fechar os olhos :)

Fica bem,
Miguel

poetaeusou . . . disse...

*
ai, o que faz o amor . . .
,
conchinhas de amizade
,
*

NuNo_R disse...

Olá...

Passei para deixar um beijinho.

E depois de ler o post fiquei com dúvidas...
Posso voltar...?
eheh

;)

BjS

Pena disse...

Linda Amiga:
Um poema que transmite uma mensagem de desencanto e tristeza num coração doce e terno.
Fico a pasmar porque as palavras sonham num amor perdido. Porquê?
É tão bela. Pura. Sincera.
As frases poéticas merecem que fale sobre a maravilha que é.
A vida continua com paixão ou sem paixão porque merece toda atenção do mundo.
Parabéns pelo talento de excelente comunicar em versos lindos.
Bj amigos de respeito

pena

gaivota disse...

fernandinha
muito lindo e cheio de decisão profunda!
tu lá sabes...
um "Adeus!" mais que correcto, certamente!
força, minha amiga
beijinhos

xistosa disse...

Esquecer, nunca.
Mas podemos recordar com nostalgia ...

O mau de outrora ...
morreu nele.
Mas continua vivo e palpitante, em quem ama sempre mais ...
Belo hino ... aliás como é apanágio desta casa.
Uma boa semana.

lua prateada disse...

Simplesmente maravilhoso como de costume Fernanda, mas este um tem um "nao sei quê de nostalgia o que não é habitual" mas está lindo e nostalgia quem a não tem???
Passsei também para te agradecer a passagem carinhosa pelo Almas Poéticas e em nome de todos nós te agradeço pela visita esperando tua volta.
Beijinho prateado com carinho
SOL

david santos disse...

É uma excelência, Fernanda. Parabéns.



NURIN JAZLIN
MURDERED. 9 YEARS OLD. WHY? ARE WE HUMAN?
.
Please!
TO AVOID SUCH A TRAGEDY HAPPENING AGAIN, AND FOR THE SALVATION OF OUR CHILDREN, WE ARE DOING A WORLDWIDE CAMPAIGN, DISPLAYING THE IMAGE OF NURIN JAZLIN JAZIMIN IN BLOGS ALL OVER THE WORLD ON 25TH APRIL 2008. LET'S NOT FORGET NURIN JAZLIN.

♥M@cellY♥ disse...

Oopaaaa
Isso de adeus é comigo mesmo..
rss
Sabe de uma coisa... o adeus sempre chega...
Meu post de hoje também fala em adeus... eu dei o meu!!!
Depois passa lá querida!

Bjoo grande!

Sérgio Figueiredo disse...

Olá Fernanda,

Bonito post que escreves. Cheio de recordações belas e sentimentos, embora perdidos, ainda muito sentidos.
Fazes bem recordar o que é bonito.
Fazes bem em querer o amor desaparecido.
Embora triste, nunca percas essa vontade de recordar. Será, eternamente vivo, esse amor que jamais queres ver.

Beijo

Gerlane disse...

Inevitável e desagradável palavra(adeus)nos desencontros da vida.

Beijos pra ti!

o das caldas disse...

Nunca,nunca digas Adeus!
2 beijinhos

elvira carvalho disse...

Gostei do poema. É assim como um grito de despedida, e ao mesmo tempo um mudo pedido de volta, apesar do "não te quero ver mais"
Um abraço

xistosa disse...

Voltei para reler ...
Há coisas que só ficam com uma segunda "impressão"...
E quando gosto, gosto e volto.
Uma boa semana ...
não desejo mais nada porque a inspiração está sempre presente.
Que belo DOM da natureza.
Vou-me deitar, que desde, domingo para segunda não vejo a cama ...

Um grande semana ...

Angel of Light disse...

Bonitas palavras... como sempre!

Os teus versos encantam-me e não consigo dizer-lhes, nunca, adeus!

Voltarei para lançar mais luzes sobre ti.

Beijinhos cheiiiiios de Amor, Paz e Luz!

Maria Clarinda disse...

Fernanda, qua maravilha de poema, este teu...sentido, choradado, vivido!!!
Jinhos mil

Estrela do Sul disse...

Pois é cara amiga, as despedidas são sempre muito tristes, muito.
Lindo. Adorei.

Lembrar dos amigos
não se torna um compromisso
mas um impulso que não
coseguimos controlar.

Uma optima semana

Bjinho amigo

Mario Rodrigues

Vieira Calado disse...

Assim é que é, amiga!
Se morreu, enterra-se... e pronto!
Amanhã é novo dia.
Beijinhos muitos.

rosa dourada/ondina azul disse...

Depois da despedida, aparece um novo dia...:)


Beijinho,

Amaral disse...

O adeus... amor que deixa saudade!...
Amor que passa, tristeza que fica, poema que canta a alma mais rica...
Depois do adeus, a esperança espalha-se pelos cantos mais secretos do caminho da vida...
Como o sonho que nunca imaginámos realidade!...

António Inglês disse...

Amiga

Vai ser difícil esquecer porque esse amor foi profundo.
Magoa a saudade, magoa tudo o que lhe faz lembrá-lo, magoa tudo o que o trás à lembrança. Vai ser difícil minha querida amiga.
Mas a vida não acabou aí. Como gostaria de estar ao pé de si, agarrar na sua mão e lavá-la por montes e vales e a fizesse esquecer pelo menos por momentos tão dolorosa saudade...
Um grande abraço
António

Mário Margaride disse...

Belo poema Fernandinha: Às vezes querida amiga, é necessário esse adeus...

Beijinhos doces...

Mário

Menina do Rio disse...

Uma despedida de quem não quer partir...Porque não é fácil fechar a porta aos sentimentos. Mas parece que os amores são como as aves de verão e um dia se vão deixando a dor da saudade.

Um beijo pra ti

xistosa disse...

Estou com problemas no anti-vírus e não me aventuro, na Net, sem ele a funcionar.
Estou cansado de reclamar e fazer experiências que me têm solicitado.

Até tenho vergonha de colocar os meus poemas e que sejam lidos por "profissionais", como a minha "amiga" Fernanda.
Coloquei amiga entre aspas, pois na Net, nunca sabemos o que está atrás do teclado.

Poemasitos, versos e pequenas peças de teatro, eram o meu passatempo de há muitos anos.
Confiei nos computadores e durantes uns anitos, passei tudo para o disco ... só que este ardeu.
Foi mesmo.
A minha mulher pediu-me para lhe fazer um teste de química, ligo o computador e começa-me a cheirar a queimado ...
Perdi a minha vida profissional de 32 anos e foi mais por isso que me reformei aos 48 anos. (já lá vão 13 anos).
Fiquei completamente nu ...
Tinha um gabinete de projectos, só de abastecimento de água e saneamento - Hidráulica, e até esse abanou ...
Despedi-me da vida activa e profissional ...
Ando à procura dum restaurante, onde possa espetar a faca e o garfo à vontade, já que nos políticos, podemos ser condenados ... e o couro que os envolve é muito rijo.

Estou a ficar sem tinta ... por isso uma boa noite e obrigada!

Iana disse...

Amiga... E, eu, que vim aqui dar só uma passadinha deixar um jinho carinhoso e sair logo.

Mas não fui capaz, olha li e reli seu poema, entre lágrimas terminei de ler e lendo fui fazer uma viagem ao passado um passado não muito distante, mas onde começou o meu amor onde encontrei minha plena felicidade...

Chorei... ai como chorei, ao ler seu poema e saber que estou sentindo tudo o que escrevestes e muito mais.

Pois o meu amor não morreu e nem o dele morrerá, mas a escolha que ele teve que fazer, para sempre sofreremos a separação que não era para acontecer...

Esta semana tenho meu coração em mil pedaços e minha alma a gritar, minha cabeça trabalha em mil pensamentos e mil voltas ela dá.

Amiga seu poema mexeu muito comigo e confesso chorei e continuo chorando e se você for em uma rosa e seus poemas lerá o desabafo que fiz...

beijos sinceros e carinhosos
Iana!!!
ps: Eu sinto sua falta, amiga

Carmim disse...

Adeus é uma palavra que me causa um certo aperto no peito, mas por vezes é preciso usá-la!

Beijo.

Luis F disse...

Fernanda

Lindas as palavras num poema sentido.

Doloroso o momento em que se diz... Adeus.

Beijinhos
Luis

C Valente disse...

Lindo.
Amiga desculpe só agora aqui vir, mas tenho tido problemas com o PC ou melhor com o operador Clix. pois na maioria das vezes não consigo contactar os amigos. Mas não os esqueço
Saudações amigas com um beijo

Maria disse...

Já vim aqui três vezes sem te comentar, Fernanda.
Porque não sei o que te hei-de dizer...
Sabendo que são apenas palavras, há um momento em que "voamos" e vemos um mini-filme de uma vida que não é nossa mas que podia ser....
Não sei que o primeiro amor (gosto de amor primeiro...) é cruel, acho que é um amor que nunca se esquece, vá lá saber-se porquê...

Beijinhos

Suave Toque disse...

"Solidão não é a falta de gente para conversar,
namorar, passear ou fazer sexo... isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos
pela ausência de entes queridos que não podem
mais voltar... isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente
se impõe às vezes, para realinhar os pensamentos...
isto é equilíbrio.
Tampouco é o claustro involuntário que o destino
nos impõe compulsoriamente, para que revejamos a
nossa vida... isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
isto é circunstância.
Solidão é muito mais que isto...
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos
e procuramos em vão, pela nossa Alma !!!"

Desejo um feliz final de semana.

Beijo de carinho

Elcia Belluci

maresia_mar disse...

Olá Fernanda
lindo o teu poema, é um grito de dor pelo amor que não deu certo.. mas nunca digas nunca, quiça, um dia...
Bjhs e bom fds

Vieira Calado disse...

Muito bonito o poema que me mandou.
Beijinhos.

Oris disse...

É muito difícil comentar o teu poema...

O primeiro amor, por mais cruel que tenha sido, não o conseguimos esquecer. Fica a nostalgia, saudade ou raiva, de tudo o que foi vivido...

Beijitos

belakbrilha disse...

Lindo!
Amargurado...mas um amor cura-se com outro!
Dizem?!!!!

bjos

lua prateada disse...

Amiga passei para te desejar um belo fim de semana e dizer-te...
Não caminhes á minha frente,posso não saber seguir-te, mas também não caminhes atráz de mim, posso não saber guiar-te.
Mas caminha a meu lado e, sê apenas minha amiga.
Beijinho prateado com carinho
SOL

DE-PROPOSITO disse...

O amor como tema fulcral do poema. Neste caso, um amor 'sofredor', que provocou a desilusão.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

tempoparaamar disse...

Beijinhos amiga e até breve se Deus quizer.

NunoSioux disse...

Que beleza emana a magoa de tuas palavras!!!

Parabens

Beijo

Agulheta disse...

Querida amiga.
Como comentei neste lindo poema,a minha visita é para te desejar bom fim semana,com beijinhos mil de coração Lisa

O Guardião disse...

Difícil de comentar, excepto na excelência da prosa.
Cumps deste amigo

Gui disse...

Desculpa amiga a ausência mas as coisas não andam muito bem para o meu lado. Mais um belo poema. Um beijo.

SAM disse...

É lindo, porém triste Fernandinha. A cada verso um desabafo, a saudade que fica e a desilusão.

Beijos com carinho
Bom fim de semana, querida.

Estrela do Sul disse...

A Amizade é como uma flor
Não chega semear...
Tem que se cuidar
todos os dias

Um optimo fim de semana

Abraço amigo

Mario Rodrigues

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fernanda
Adeus, não de quero ver mais porque te quero ver sempre.
E isso é sofrer e eu não quero sofrer porque sofro demais por não te ver.

Beijinhos

Anónimo disse...

Transformaste a dor e a melancolia em lindos versos.
Beijos!
adorei