domingo, dezembro 07, 2008

À POETISA FLORBELA ESPANCA!...



O dia 8 de Dezembro é o dia de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Portugal a partir da data em que os reis portugueses deixaram de usar coroa para a oferecer à imagem da mãe de Jesus que está em Vila Viçosa, mesmo ao lado do Palácio Real.

E, curiosamente, Florbela Espanca nasceu a 8 de Dezembro de 1894, casou a 8 de Dezembro de 1913, suicidou-se a 8 de Dezembro de 1930, foi baptizada na Igreja de Nª Sª da Conceição, aos 8 anos adoptou o nome "da Conceição". e lecionou no Colégio de NªSª da Conceição, em Évora. O dia 8 de Dezembro era ainda o dia da Mãe, da mãe que Florbela não conheceu bem e que não foi a sua educadora «não me recordo nem da cor dos seus cabelos», e da mãe que Florbela nunca conseguiu ser...

Farta dos ingredientes da sua má sorte, cansada de ter nascido numa época que não era a sua, optou pelo suicídio consciente e premeditado:
«Há quem suba a descer. Há almas privilegiadas e únicas que nada têm a ver com a lógica absurda das leis humanas (... ) À gargalhada insultante deste mundo responde a infinita serenidade do que fica para além e que os olhos míopes não vêem (... ) O que lhes foi preciso de coragem desdenhosa, de altiva serenidade, de profundíssimo desprezo, às almas que partiram por querer!».

Na última noite da sua vida, escreveu o extraordinário Soneto "À Morte"

À MORTE

Morte, minha Senhora Dona Morte,
Tão bom que deve ser o teu abraço!
Lânguido e doce como um doce laço
e como raiz, sereno e forte.

Não há mal que não sare ou não conforte
tua mão que nos guia passo a passo,
em ti, dentro de ti, no teu regaço
não há triste destino nem má sorte.

Dona Morte dos dedos de veludo,
fecha-me os olhos que já viram tudo!
Prende-me as asas que voaram tanto!

Vim da Moirama, sou filha de rei,
má fada me encantou e aqui fiquei
à tua espera,... quebra-me o encanto!

Florbela Espanca


Rui Gudes, escreveu em Janeiro de 2000;

Ao cabo de muitos anos de estudo sobre a vida e a obra de Florbela Espanca, não consigo descrever a poetisa alentejana melhor do que ela própria o fez: (...) «Uma corajosa rapariga, sempre sincera consigo mesma. (...) Honesta sem preconceitos, amorosa sem luxúria, casta sem formalidades, recta sem princípios, e sempre viva, a palpitar de seiva quente como as flores selvagens da tua bárbara charneca!»



Florbela Espanca, sempre me influênciou, quando ainda adolescente e comecei a escrever... Este

Soneto, escrevi-o á momentos !... Aqui deixo o meu contributo á sua memória!..

FLORBELA!...

Olhos pretos, risonhos, tansparentes
pequenina serena e donairosa
sorriso meigo de sonhos dormentes,
Mar agitado, mas sempre amorosa.

Abrigo oculto de muita ternura
fortaleza d'alma, flor perfumada
dom d'iluminar uma noite escura
não te esquecerei, serás recordada.

Oh! flores silvestres, estrelas do céu!
Oh! mar profundo, deslumbrante e puro!
Recordai a Florbela no seu mausuléu!

Não se despediu. Já galgou o muro.
Destino cruel, traiçoeiro e duro
Ficou a saudade envolta em véu!

Fernanda Costa

(inédito) 7-12-2008 - 1,30 da madrugada
Costa da Caparica

Posted by Picasa

66 comentários:

Maria disse...

Excelente post de homenagem à Florbela Espanca.
Obrigada, Amiga, pela partilha e pelas tuas palavras.

Beijinho, Fernanda

Mari disse...

Olá Fernanda!

Desculpa a minha demora em te responder.
Muito obrigada pelas palavras lindas.
Adoro Florbela.
Deixo para você o meu poema predileto:

"Gosto de ti apaixonadamente
De ti, és a vitória, a salvação
De ti, que me trouxeste pela mão
Até o brilho desta chama quente.

A tua linda voz de água corrente.
Ensinou-me a cantar... é essa canção
Foi ritmo nos meus versos de paixão
Foi graça no meu peito de descrente.

Bordão a amparar minha cegueira,
Da noite negra o mágico farol,
Cravos rubros a arder numa fogueira !

E eu, que era neste mundo uma vencida,
Ergo a cabeça ao alto, encaro o sol !
- Águia real, apontas-me a subida!"

Florbela Espanca

Feliz Natal com muita paz, alegria e amor.
Beijos com gratidão, mari.

Bill Stein Husenbar disse...

Maravilhosa e merecida homenagem a uma das maiores poetias da lingua de Camões.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diogo Caceres disse...

Bom dia Fernanda, obrigado a visita amiga... vim agradecer e parabenizar pelo homenagem a Florbela no seu post. Grande poetisa Florbela, mais que merecida as palavras dedicadas a ela... lembrei de um poema que gosto muito dela, dedicada exatamente aos poetas. Dedico a vc amiga:

Ser poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
é condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

Florbela Espanca

Ótimo domingão, abraço!!!

Serena Flor disse...

Amanhã é o grande dia não é mesmo?
Esta blogagem coletiva vai ser muito especial pra mim, adoro demais Florbela e estou ansiosa para ler os outros posts e para me deliciar com seus belos poemas!
Comecei hoje com seu belo blog!
Um beijo e ótimo Domingo pra você minha querida!

Juliana Lira disse...

Fernanda

Que praser vim aqui,e conhecer mais sobre a poetisa que tanto me inspira e que por tantas vezes tive certeza que falava de mim.
"Eu sou a que na vida anda perdida, sou a que na vida não tem norte..."

Bandys disse...

Fernandinha,
Nossa AMO Florbela Espanca!!

Maravilha de post.
Paraboens avoce e a essa poetisa MARAVILHOSA!

Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!
Florbela Espanca

São disse...

PARABÉNS!!!

Post excelente, este teu!

Também a homenageei num dos meus espaços.


Um abraço, linda!

joão m. jacinto & poemas disse...

Belo soneto, para homenagear a nossa grande poeta Florbela Espanca!

Parabéns!


bj,


jj

Pico minha ilha disse...

Florbela que adoro.Lindo seu soneto em sua homenagem.Beijinhos amiga e bom feriado.

Alice Matos disse...

Linda homenagem Fernanda...
Linda e merecida...

Beijinho para ti...

Oliver Pickwick disse...

Bela homenagem! Nos seus versos, descreveu muito bem a essência desta grande mulher.
Uma curiosidade, Nossa Senhora da Conceição é a padroeira da minha cidade, Salvador.
Um beijo!

mundo azul disse...

Querida Fernanda...

Nem como expressar o meu prazer, por ler coisas tão bonitas!

Pobre poetisa, que nunca foi feliz... Achava que a morte seria a solução...

Sonetos maravilhosos!!!


Beijos de luz e uma semana feliz...

Vivian disse...

...não poderia haver homenagem melhor
quando um poeta se volta para
acarinhar a alma de outro poeta.

e você o fez aqui com requinte
de inspiração sublime.

linda você, minha doce
Fernandinha!

parabéns às duas,
à você e a Florbela que ora
vive em outras paragens.

muahhhh

Alice disse...

Florbela é de longe a minha preferida !!



bjussssssssss

manuel marques disse...

Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder...para me encontrar....

Florbela Espanca

Estou de volta querida Fernanda,beijos.

paula barros disse...

Oi, Fernandinha

N.S. da Conceição também é padroeira de Recife, aqui onde moro.

Entrei em contanto com os escritos de Florbela a partir da leitura dos blogs, mas hoje aqui conheci mais ainda.

Ficou muito bonito o que você escreveu.

abraços carinhosos e de admiração.

Cleo disse...

Fernandinha! ficou linda tua postagem, e que bela homenagem tu fizeste escrevendo tua própria homenagem em soneto. Lindo!
Beijos e até amanhã!
Bela semana prá ti.
cleo

Vilminha disse...

OI Fernanda, Não conhecia a vida de Florbela Espanca, e gostei de saber sobre ela e também fiquei emocionada com a desenvoltura com que ela escreveu o poema "morte" antes de ir embora deste mundo que conforme entendi não a entendeu, pois me parece que ela foi daquelas pessoas que nasceu à frente do seu tempo. Gostei muito do seu poema também. Tenho pra mim que todo poeta quando escreve algo triste morre junto com seus escritos, mas também tenho pra mim que o poeta renasce a cada poema que escreve com o sentimento do amaor e da esperança e quando escreve com paixão e com a alma. Mas tenho muito medo de como se encontra o poeta em um dia de insuportável desesperança e tristeza pela vida e pelo mundo. Que tipo de atrocidade ele possa acometer-se. Beijos e uma ótima semana.

Príncipe Tito disse...

Fernanda, obrigado pela mensagem...Abraços !!!

Gerlane disse...

Ah, Fernandinha, ela é a padroeira da minha cidade também ,por isso, amanhã será feriado aqui.

Florbela? Maravilhosa!

Uma boa semana pra ti!

Beijos!

literatura disse...

Olá querida Amiga!
Obrigada pela tua mensagem.
Gostei da tua postagem, pois é uma merida homenagem à nossa Grande poetisa Florbela, uma mulher que o Destino não previlegiou. Ela merece tudo de bom que possamos imaginar.

Continuo a aguardar novas postagens

Beijinhos e Felicidades.

Noribal

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Que soneto lindo, Fernanda! Belíssima homenagem à poetisa Florbela Espanca, da qual sou admiradora fervorosa!
Os versos que ela deixou são preciosidades aos olhos e à alma!
beijos e borboleteios

O Guardião disse...

Bonita homenagem a uma mulher que viveu num tempo que não era o seu.
Cumps

MARCOS LEITE disse...

minhalinda,obrigado pela visita,volte sempre,pois sua presença sempre será especial.

tenha uma Boa Noite.

gaivota disse...

pois é, minha querida, tudo isto e muito mais!florbela, a poetisa que a gente sente...
já vais sabendo porque nem acrescento mais nada, tá tudo dito na minha preocupação...
gosto de ti, fernandinha!
beijinhosssssssssssss enormesssssssss

Pelos caminhos da vida. disse...

Bela e merecida homenagem a poetisa Florbela.

Uma semana de muita luz amiga.
Obrigada pelas visitas.
Um gde abraço.

bjs.

xistosa - (josé torres) disse...

Cá por casa o Dia da Mãe continua a ser a 8 de Dezembro.
Nunca fui de muito religioso, mas há coisas que não gosto.
Uma vida inteira a comemorar o dia 8.
Foi tal a ganância, que até chegou a haver dois domingos, Dia da Mãe em Maio.
Não oficiais como é lógico, mas não gosto de mudanças sem lógica e despropositadas.
Sou um amante, da amante apaixonada que foi a Florbela.
Tinha que ser assim.
Os ídolos também têm pontos fracos e ela nunca encontrou o ponto de apoio.

Não vou bajular o soneto que escreveu.
Só que está à altura da grande Florbela Espanca, que em pouco tempo tanto nos legou.

Marta disse...

Uma homenagem perfeita....
Continua viva, nas memórias imortais....
Obrigada pela visita...
E quero fazer um pedido - gostava que me enviasse por mail o seu poema favorita, para eu colocar no blog e escrever o meu comentário.
O tema é o mar...
Até já
Beijos e abraços
Marta

(O meu mail está no perfil)

Paula Raposo disse...

Bela homenagem sentida! Gostei. Beijos.

sagitario disse...

olá Fernandinha,
obrigada pelo seu incentivo, eu sou apenas uma divulgadoura do belo e pinto o ceu com as cores que gosto.
Sabe: não gosto da palavra poetisa, pois aos grandes só chamo de poetas e a Florbela foi única e diferente, ela nunca se integrou na sociedade da altura e era um espírito irrequieto, por isso escreveu o que escreveu, ela dizia que quando morresse não queria lágrimas, mas sim lirios e musica no seu funeral, o que demonstra o desapego pela vida que a tratou tão mal e que nunca se conformou.
Por isso todas as homenagens que lhe façamos são só uma gota de água no oceano dela.
um abraço e volte sempre, eu também volto

águia_livre disse...

Lindo.

Por isso sem mais palavras, por desnecessárias

Gostei imenso

.

Luiz Caio disse...

Oi Fernandinha! Como vai?
Muito linda homenagem à Florbela... Grande poetisa que se foi tão jovem!

TENHA UMA ÓTIMA SEMANA!
BEIJOS.

Georgia disse...

Linda a sua homenagem. Ela escrevia com a alma todo o seu sofrimento, nao?

Abracos

Flor ♥ disse...

Bom dia, meus queridos!

Chegamos ao grande dia da Blogagem em homenagem a Florbela Espanca.

Tanto ansiei por este dia, e eis que, por caprichos do acaso, desde sábado estou com problemas sérios de conexão, e hoje estou aqui graças ao PC de uma Lan House... Cheia de vontade de ler os seus posts, que tão carinhosamente estão sendo publicados, mas por hora impossibilitada... A presença do técnico está marcada para hoje às 16.00 h. Espero que tudo volte ao normal para que possa, além de me deliciar com as suas postagens, publicá-las no Interlúdio com Florbela, como uma pequena forma de agradecer pelo carinho de vocês... Conto com a compreensão de todos... Beijos!

Flor ♥

Janaina Amado disse...

Fernanda, gostei batante do seu soneto à Florbela. Bom que conheci seu blog, também. Abraço.

Faniquito disse...

Oii Fernanda !

Que belíssima homenagem a Florbela...amo essa mulher..~ela é tão intensa!!!

E o soneto que vc escreveu...lindo.Fiquei impressionada !!! Parabéns.

Beijinhos

Ana

Claudia Goulart disse...

Obrigada pelas carinhosas palavras noo meu Cenario.

O que conheço da Florbela Espanca foi através desse teu espaço.
E todas essas ocorrências no dia 08?
Me parece mulher extraordinária!
bjs

Dauri Batisti disse...

Tudo lindo, emocionante nesta postagem. Belas informações. Tudo que é bom ler num dia 8 de dezembro. Fico tocando, pensativo.

Beijo.

http://mscamp.wordpress.com/ disse...

Olá Fernanda.

Bela explanação. Florbela fez por merecer, suas poesias exprimem paixão intensa em cada palavra!

Bjs.
Palavras Rabiscadas
http://mscamp.wordpress.com/

Eduardo Aleixo disse...

Excelente post, o teu, e bela homenagem de uma grande poetisa, que tu és, a outra, igualmente. Muitos beijinhos. EA

Pearl disse...

Lindissimo sem dúvida...parabéns!

beijos

Agulheta disse...

Fernanda. Muito bom o post a Florbela,o meu já lá ficou ontem a noite tarde mas ficou.Agora as tuas palavras aqui escritas adorei.
Beijinho e uma flor.
Lisa

mariam disse...

Fernandinha,

que linda homenagem a esta GRANDE POETIZA e MULHER.... em tempos nada fáceis, usou a palavra como arma...

Obrigada por lembrá-la. Gosto.

bom feriado e melhor semana
um sorriso :)

mariam

Maripa disse...

Olá, Fernanda!

Sem saber da blogagem colectiva fiz hoje, dia 8, um post lembrando Florbela,nossa grande poetisa.

E que bonito o seu poema em sua homenagem!

Beijo amigo.

Du disse...

"Florbela é a flor maior da poesia romântica,
é o sofrimento em versos de um soneto
é o amanhecer mais belo de um encanto
é aquela que se perdeu pra se encontrar."
(Lustato)


Beijos!

ana p roque disse...

Olá querida Fernandinha.
Bela homenagem a Florbela Espanca.

Votos de uma boa semana.

Beijinhos de carinho e ternura.

aPr

Betho disse...

Fernandinha bela homenagem Eu adoro Florbela Espanca e gosto muito de vc também ...Beijos

Valter Montani disse...

Fernandinha,

Florbela Espanca fez-me achar beleza na dor e agora vens você e com seu belo escrito me faz ver a encontrar a suavidade na morte. Parabéns! muito lindo e tocante e deu-me a dimensão que Florbela sentiu ao ser beijada pela "Dona Morte"
Não que eu vá procurar a dita cuja, estou bem por aqui até quando Deus quiser. Bjs.

Liz disse...

Olá Fernanda, sou nova por aqui e ando à descoberta ... e que descoberta!!! Adorei o teu blog e vou continuar a segui-lo.
Florbela ... que dizer? É uma rainha da nossa poesia.

Um beijo

Dois Rios disse...

Querida Fernanda!
Merecida homenagem a grande poeta Florbela Espanca. Parabéns!
===
Vaidade
Florbela Espanca

Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho...

E não sou nada!...
===
Beijos,
Inês

MPereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
elvira carvalho disse...

Também aderi à blogagem da Florbela. Não é de forma alguma a minha poet(is)a preferida. Mas tem alguns poemas muito belos e é portuguesa.
Um abraço e uma boa semana

Ana Martins disse...

Estupenda homenagem a Florbela Espanca.

Adorei!!!

Beijinhos

o escriba disse...

Fernandinha

Obrigada pela sua visita ao meu somadeletras.

Bonito post de homenagem a Florbela. Essa conjugação do número oito na vida da poetisa é fantástica!

Gostei muito do seu soneto!

bjs
Esperança

© efeneto disse...

Olá amigo/as.
Venho por este meio agradecer a todos aqueles que tiveram a amabilidade de por todas as vias me endereçaram as melhoras e tiveram a paciência de esperar. Aos poucos e na medida do possível irei retomar as publicações no “Grito” agora renovado e as visitas aos amigos.
Porque o tempo urge e a amizade espera, vou começar a colocar as visitas em dia.
Beijos a quem é de beijos e abraços aos restantes.
©efeneto

© efeneto disse...

Olá amigo/as.
Venho por este meio agradecer a todos aqueles que tiveram a amabilidade de por todas as vias me endereçaram as melhoras e tiveram a paciência de esperar. Aos poucos e na medida do possível irei retomar as publicações no “Grito” agora renovado e as visitas aos amigos.
Porque o tempo urge e a amizade espera, vou começar a colocar as visitas em dia.
Beijos a quem é de beijos e abraços aos restantes.
©efeneto

Ana Maria disse...

Bela homenagem!
Postei uma singela homenagem a Florbela Espanca também, no Atelier da Poesia.
Beijinhos carinhosos!

LOURO disse...

Olá querida Fernandinha, linda homenagem á nossa Poetisa Florbela Espanca... Adorei o teu Soneto...
Beijinhos de carinho, deste teu Amigo,
Lourenço

gaivota disse...

minha querida, ontem ainda aqui vim visitar e ler mais um pouco de uma das nossas eternas poetisas, mas não ficou a minha mensagem...
já tudo se disse de florbela, tudo e tão pouco!
beijinhos enormes para ti

Urbano Leonel Sant' Anna disse...

Boa tarde! Sigo visitando os blogs participantes da blogagem coletiva.

Isto é o que eu chamo de uma corrente do bem! Como é que se poderia chamar uma iniciativa que enche de poesia a blogosfera? Aqui está uma excelente oportunidade para que todos conheçam um pouco mais sobre a genial Florbela Espanca.

Eis um trecho de "Ser poeta", de Florbela:

"Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!"

Parabéns a todos que estão participando!

Sensata Paranóia

Véu de Maya disse...

Chego atrasao mas venho...te felicitar pela lidíssima partilha...á divina florbela Espanca...e para te agradecer o lindo soneto...muito lindo...que ofereceste a esta sagitariana tão frágil mas tão profunda...

xi-coração pra ti, minha querida amiga.

Véu de Maya

Véu de Maya disse...

errata:

chego atrasado...

pra te felicitar pela lindíssima...

Véu de Maya.

Carol disse...

Mas que bela homenagem, Fernandinha! E ela merece-a totalmente!

☆Fanny☆ disse...

Olá Fernanda.

Entrei no teu cantinho e deliciei o meu coração. Não resisti em comentar este soneto a Florbela Espanca! Também eu me identifico com a sua escrita, os seus poemas.
No meu blog http://simplesmentemurmurios.blogspot.com há muitos "sonetos" inspirados nela.
Curiosamente o meu marido também dedicou um soneto a Florbela Espanca, agora em Dezembro. Vou ver se o encontro e depois mostro-te, ok?

Um beijinho com aromas de poesia*

Fanny